segunda-feira, 8 de março de 2010

Cachoeira do Perequê - Cubatão/SP

No domingo, dia 06 de março, não fiz uma viagem, mas sim um passeio num dia de Sol à Cachoeira do Perequê na cidade de Cubatão/SP.

Cubatão é uma das cidades que compõe a Baixada Santista e por vezes é injustamente deixada de lado por aqueles que visitam a região por causa de seu passado nebuloso, ou melhor, poluído.

Atualmente a cidade vive um momento de crescimento e está procurando dar mais atenção à parte turística (http://www.cubatao.sp.gov.br/publico/images/Turismo.pdf).

A cidade possui outro parque famoso, o COTIA-PARÁ, mas hoje vou falar apenas do PARQUE MUNICIPAL DO PEREQUÊ.

O Parque do Perequê fica no km 04 da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, que liga o centro da cidade às indústrias.

O acesso de carro é bom e há um pequeno espaço para estacionamento. Mas você que está chegando para procurar o descanso e a tranquilidade das cahoeiras do parque, começará a ver alguns bares, som alto e muvuca, não se assuste, é apenas um pessoal que fica antes da entrada do parque e que não costuma subir até a cachoeira principal, muitas vezes nem ultrapassa a guarita do parque.

Mas se você for cedo, em torno das 08hs da manhã, o movimento é menor e mais agradável, exceto na temporada de verão, onde o movimento é realmente grande desde cedo.

A entrada do parque é gratuita e possui uma guarita com seguranças na entrada. Não há guias oficiais, muito menos mapas...aliás, não é necessário se você for obediente e inteligente para não sair da trilha oficial, convenhamos, você não vai querer estragar a natureza abrindo outro caminho, né?

A atual Administração Municipal está se preocupando muito com seus parques ecológicos , tanto que fomos recepcionados pelo Sr. Rolando que estava há pouco na gerência do parque.

Muito agradável, disse que está aberto à críticas e sugestões sobre as condições do parque porque uma das metas da atual Prefeita é fazer de lá um modelo de turismo ecológico e sustentável para toda Baixada Santista, até porque é um diamante em meio a tantas indústrias na região, vez que o acesso é fácil e é um lugar realmente muito lindo.

Após a conversa com o Sr. Rolando, continuamos a caminhada. Qualquer pessoa que faça alguma atividade física fará a trilha até a cachoeira maior em mais ou menos 01h30 ou menos...e a volta também neste tempo.

Porém, até os mais ociosos podem se aventurar, não necessita de muito esforço.

A única coisa que se deve alertar é que apesar de não ser uma trilha difícil, há alguns pontos de algum perigo de acidente, vez que faz-se travessia pelo rio e também por pedras escorregadias, ou seja, prudência não faz mal à ninguém.

A trilha se dá em meio à mata fechada e úmida, muitas vezes ao lado do rio ou por ele, portanto, não fique preocupado em molhar seus pés porque você vai ter que molhá-los.

Há também pontos bons para banhos junto à pequenas quedas d´água...fria, mas é água...

Você notará que há alguma sujeira deixada pelo próprio homem que os responsáveis do parque não dão conta de limpar, portanto, faça sua parte, leve uma sacolinha de lixo à mais e recolha o possível...o parque agradece.

Numa manhã você fará um agradável passeio pelo parque, conhecerá belas quedas, se banhará em ótima água gelada e estará em contato com a mais pura natureza, num lugar realmente lindo.

Em que pese lotar no verão, creio que na parte mais alta poucas pessoas se aventuram, aliás, no dia em que fomos estávamos em cinco e só encontramos mais duas pessoas fazendo a trilha.

Há alguns relatos de furtos nos estacionamentos juntos aos veículos, conosco nada aconteceu, mas, de qualquer forma, evite deixar objetos de valor no carro.

Leve sua água e seu lanche, a água do parque não é potável e ainda que alguém diga que na parte alta pode beber, não vacile, muitas vezes em rios há inúmeros minérios que nossos corpos não estão acostumados...leve sua garrfinha e garanta a integridade de seu intestino...hehehehe.

Se qusier mais informações pode ligar no telefone (13) 3362.6268 ou acessar ao site da Câmara Municipal e aproveitar para dar uma conferida nas fotos do parque (http://www.camaracubatao.sp.gov.br/cubatao9.htm).

Após a manhã de trilha e cachoeira, você poderá almoçar em algum restaurante da cidade, indico dois ótimos que costumo frequentar, a CHURRASCARIA VILA NOVA (http://www.churrascariavilanova.com.br/html/index.html), próxima ao centro, logo, ao parque, na própria avenida principal da cidade e o RESTAURANTE KALABALIS (http://www.kalabalis.com.br/cardapio.html) que se localiza no agradável bairro do Jardim Casqueiro, já mais próximo de Santos.

Se vier para cá, não hesite em me escrever, de repente até fazemos o passeio juntos,
um grande abraço,
André Taka

2 comentários:

Priscila Andrade (priscila@bab.la) disse...

Olá André,

Meu nome é Priscila Andrade e faço parte da equipe bab.la (http://pt.bab.la), um website interativo com dicionários multilíngues, fóruns e outros recursos linguísticos. Escrevo-lhe pois acredito que o nosso site traz ferramentas interessantes quem viaja bastante. Recentemente o bab.la lançou o “Guia de Sobrevivência para Viagens” com frases básicas em 14 línguas (http://pt.bab.la/viagens/guia-de-sobrevivencia/).

O Guia é gratuito, foi desenvolvido com base na sugestão de usuários e é uma ótima fonte tanto para quem recebe turistas estrangeiros quanto para quem viaja ao exterior. Ele vem em formato PDF para download e é possível combinar o Português com qualquer um dos 13 idiomas disponíveis, inclusive japonês, chinês e hindi.

O bab.la oferece ainda uma caixa de tradução que pode ser adicionada gratuitamente nos websites das instituições ou pessoas interessadas.
Existe interesse em incluir o link para o Guia de Sobrevivência ou a caixa de tradução do bab.la em sua página? Se houver dúvidas ou sugestões não hesite em me contatar.

Atenciosamente,
Priscila Andrade

Anônimo disse...

Olá!

Estou querendo fazer essa trilha em janeiro e preciso de uma informação.
Não consegui encontrar a qulometragem da trilha, sabe me dizer???

patriciagoncalves@deloitte.com